sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Para o casamento homossexual, além do excesso de coerência política, temos também a seriedade em demasia.


Obviamente, não será nos tempos mais próximos que o pessoal do mesmo sexo que anda desesperado por casar o irá fazer.

Chego até a desconfiar que Sócrates terá feito isto com segunda intenção.

Hoje foi aprovado um projecto lei que descrimina os homossexuais, logo é inconstitucional.


Legalizar o casamento entre homossexuais porque são iguais aos heterossexuais e proibi-los de adoptarem crianças porque são diferentes, é de uma coerência brutal. É a tal coerência de que falo no post anterior.

O Cavaco que é contra o casório e não é parvo nenhum, embora eu até não tenha grande simpatia pela personagem, acredito que se vai safar com agilidade deste imbróglio todo.
Não tem que se manifestar, vai agarrar no documento, enviá-lo para o Tribunal Constitucional e eles que decidam. Provavelmente decidem que é inconstitucional porque descrimina os homossexuais, devolvem o papelinho ao Cavaco, o Cavaco reenvia-o á assembleia para o governo proceder às alterações necessárias, este não altera porque a questão da adopção não fazia parte do programa do governo, fica tudo em águas de bacalhau, e sempre vai dando para prometer que na próxima legislatura se o PS ganhar é que então sim, se vão acabar as injustiças todas.
Os bloquistas ficam com uma grande cabeça porque percebem finalmente que isto foi tudo perda de tempo e sujeitaram-se á humilhação de votar favoravelmente a uma proposta do governo mesmo reconhecendo a inconstitucionalidade e sendo contra ela, os comunistas ficam descansados porque fizeram o papel deles na perfeição e não têem culpa de nada, os sociais democratas agradecem á veia sacana do Sócrates porque lhes dá tempo, não sabemos bem para quê, mas pelo menos para eles é uma vitória moral, o democratas cristãos tornam-se cavaquistas definitivamente e vão eles mesmos lutar por uma maioria absoluta na próxima legislatura só para não deixar o pessoal juntar os trapos.

Olhem, vendo bem, ainda è capaz de ter sido bom que isto do referendo não fosse avante, ao menos não se gasta já mais dinheiro daquele que não temos.


...

5 Pinokadas:

Rita disse...

Uma coisa de cada vez...afinal o mundo não se fez num dia.
Eu sou a favor do casamento homossexual, afinal de contas, cada um sabe de si, e cada um " come aquilo que o gosta".

O Pinoka disse...

Oi Rita,
O problema é que não dá para separar as coisas, afinal é para acabar com a descriminação ou não?
Ou bem que fazem as coisas com sentido ou mais vale não mexer.
Obrigado pela visita
Bjs

Mariazinha disse...

O casamento cívil é um contrato como tal é para todos.
A palavra casamento é que "choca" muita gente.
Por mim podem casar-se todos eu não preciso de casamento para viver uma vida feliz ao lado da pessoa que amo. Não são uns meros papeis ditam a minha felicidade e o respeito que nutro pelo meu companheiro.

Beijokas

O Pinoka disse...

Mariazinha

Ora aí está. Não sendo uns meros papeis que ditam a felicidade das pessoas e sabendo nós que a palavra “casamento” é que provoca toda a polémica, porque não dar os mesmos direitos a quem os reclama mas com outra denominação que não casamento? Que mal teria? Só há igualdade se a palavra for essa? Claro que não, trata-se de um capricho da comunidade homossexual. E o pior é que estão a convencer-se que assim atingem a igualdade e que se acaba a descriminação. Errado, isto não vai melhorar minimamente a relação dos homossexuais com os xenófobos.

Estafermococus disse...

Não se ... nem se sai de cima. é assim em Portugal.