segunda-feira, 7 de julho de 2008

Injusto...


De facto isto por aqui não tem estado muito famoso ultimamente.
Desta vez quem partiu foi alguém de quem gostava muito, um familiar meu por afinidade que pertence à Dna. Pinoka cá de casa, um amigo bem disposto e supostamente saudável, pelo menos segundo um médico que provavelmente ainda terá que se explicar, mas isto são outras contas.
Digo desta vez porque infelizmente também já senti a dor por familiares de sangue muito próximos.
Será provavelmente um dos fenómenos que nos torna a nós seres humanos tão visivelmente semelhantes e pequeninos independentemente da carteira e do conteúdo. Duvido que exista alguém neste planeta que não tenha um familiar ou amigo mais distante ou mais chegado que não tenha tido esta infelicidade.
È a crueldade cobarde da natureza para com a natureza. O percurso natural dos seres humanos não é terminar assim.
Porque raio controlamos tanta coisa, do comando da televisão ao satélite no espaço e não conseguimos ter o controlo da vida?
Mais que o flagelo da SIDA assusta-me o cancro. Com a SIDA há precauções que a podem evitar, sabe-se como, com o cancro não. Pode um indivíduo levar uma vida saudável que está sempre a jeito.
Revolta-me.

Muito obrigado a todos pelos comentários no post em baixo.

14 Pinokadas:

Patti disse...

E a nossa total incapacidade de fazer alguma coisa a não ser assistir.
Beijinho.

Rocket disse...

eis algo onde as energias da civilização deviam ser aplicadas, para não ver alguém como tu...assim.

um abraço e força para a tua cara-metade

AJB - martelo disse...

e quanto mais se gosta da vida, tanto pior... fica-se sem jeito nestas alturas.
abç

O Pinoka disse...

Patti

e doi tanto...
Beijinhos


rocket

ora aqui está mais um exemplo de um ódio que acho aceitável e que me esqueci de mencionar no teu post acerca dos "ódios".
Um abraço


martelo

é verdade, encolhe-se os ombros e pouco mais.
Obrigado
Um abraço

blueminerva disse...

Um abraço apertado, porque há momentos em que o silêncio faz mais sentido.
Força

O Pinoka disse...

blueminerva

Obrigado pelo conforto.
Beijinhos

Belzebu disse...

Esse sentimento de impotência também me revolta. Eu sei o que é perder gente querida devido a essa maldita doença que chega sempre sem convite, que nos leva pedaços das nossas vidas e nos deixa sempre com um sentimento de total incapacidade para o contrariar!

Aquele abraço infernal!

Menina disse...

São situações muito complicadas...também o cancro já afectou a minha família e amigos..

Apenas passei para desejar muita força, porque sei que nestas situações nada do que se possa dizer ajuda..

Força, um beijinho*

Anónimo disse...

Pinoka

Lamento muito que tal te tenha acontecido.
Mas devemos encarar a vida apenas como uma passagem, por vezes uma dolorosa passagem.
Um beijinho para ti amigo.

Um dia destes mando-te um mail sobre aquele assunto da nave*
Bel

O Pinoka disse...

belzebu

como somos fracos...
Abraço



menina

obrigado
beijinhos



bel

Uma passagem...é. Mas deveria de haver uma forma menos dolorosa de despedida.

Há novidades da nave???
Manda assim que poderes.
Beijinhos

alfabeta disse...

Revolta sim, e de que maneira!
Força para os dois :)

Sorrisos em Alta disse...

Não sei o que aconteceu ao comentário que tinha deixado neste post... mas fica com um abraço

Estafermococus disse...

Pinoka, infelizmente, parece que podemos formar um clube...
Um grande abraço.

Susanyttah disse...

A morte assusta sempre, mas o cancro torna-a muitas vezes dura e lenta. Conheço pessoas que já morreram com cancro e pessoas que o superaram. Correm sempre muitas lágrimas, mas todos temos uma hora de partir. Sei que é frio de dizer e dificil de o aceitar, mas temos um caminho e todo o caminho tem um fim...ou então passamos só ao próximo nível. Ninguém sabe.
Força, chora tudo e revolta-te com o mundo, e depois levanta a cabeça de novo.

Um beijo*