segunda-feira, 3 de novembro de 2008

È p`ro menino e p`ra menina, seja pipi ou pilinha. (Parte II)

Na quarta-feira passada decorreu um protesto em frente à Assembleia da República o qual consistia em vários carrinhos de bebé vazios como forma de demonstrar o descontentamento dos casais inférteis pelos atrasos nos financiamentos prometidos para tratamentos.

Na semana anterior a Direcção Geral da Saúde informou a Associação Portuguesa de Fertilidade que os financiamentos serão pagos a partir do segundo trimestre de 2009. Entre vários problemas por resolver segundo a Associação, está o facto dos medicamentos terem apenas 37% de comparticipação.

Reparem agora no contra-senso.

A baixa natalidade é um problema nacional, até o Presidente da Republica manda o pessoal fazer mais filhos, e depois alguém que deseja tanto ter filhos e com isto ajudar a resolver um problema do país e do governo, acaba por ter maiores apoios para não os ter. Ou seja, para se ter filhos paga-se fortunas, e lá está o número miserável mas usual de 37% de comparticipação em medicamentos.

Se em vez de filhos quiser trocar a pilinha por um pipi ou um pipi por uma pilinha não paga nada.


Extraordinário!

5 Pinokadas:

Menina disse...

Há cada contra-senso..Não se percebe..

bjs*

O Pinoka disse...

menina

Acho que é mesmo para não percebermos.
Bjs

polidor disse...

se tiver uma pilinha e um pilinho está resolvido...

Luis disse...

o pior é se esses filhos que nascerem devido aos tratamentos de fertilidade forem para politicos.

Sorrisos em Alta disse...

O nosso Primeiro é que não deve estar a perceber nada e a achar que nós é que estamos sempre a reclamar.
Pensará qualquer coisa como "Querem ter filhos... mais do que eu já os estou a f***, é impossível! Também querem que seja eu a fazer tudo???"

Abraço...