terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Criminalidade, quase não há!

"O aumento dos crimes contra as autoridades públicas revela sempre actividade policial. Quando a actividade é menos intensa não há desobediência", declarou Rui Pereira na Comissão de Assuntos Constitucionais, onde foi chamado a pedido do PSD para falar sobre segurança pública.

Rui Pereira realçou que entre 2006 e 2007 "a criminalidade em geral e a criminalidade violenta diminuíram".

"Não se pode dizer de qualquer local do país que é um Far West, porque realmente não é", disse o ministro, criticando declarações do deputado social-democrata Agostinho Branquinho sobre a segurança no Porto, que comparou ao "Far West" norte-americano.

in Lusa


Ora bem, depois destas declarações, vamos dizer o quê?
Só me ocorre um "Por qué no te callas?". Este senhor não terá a noção que as pessoas hoje em dia lêem jornais, vêem televisão e infelizmente sofrem na pele o aumento brutal da criminalidade?
O número reduzido de crimes no registo das autoridades tem uma explicação simples. Será que nunca lhe disseram que as vítimas de crimes, chamados menores, como furtos ou agressões, nem sequer na maioria das vezes apresentam queixa ás autoridades porque sabem que nada irá acontecer e que provavelmente perdem mais tempo a apresentar uma queixa que a tratar dos documentos roubados?
Será que nunca ouviu falar do roubo de caixas Multibanco, assaltos a bancos com recurso a violência e até reféns, assaltos a ourivesarias, assaltos a carrinhas de transportes de valores com a morte dos respectivos seguranças, assaltos a gasolineiras, carjanking, assaltos e homicídio de taxistas, assassinato de empresários e seguranças com tiros à queima-roupa, este fim-de-semana encetaram até uma novidade, assassinato com carro armadilhado e segundo os jornais, homicídio cirúrgico com bomba de “tecnologia de ponta”.
O que mais incómoda é que o defeito não é só deste ministro, não me lembro de um, um que fosse, que estivesse a Administração Interna e assumisse a realidade e assim a tentar combater com seriedade, passam a vida a impingir mentiras umas atrás das outras. Que irritante!
Depois vão largando umas pérolas como aquelas em cima descritas: "O aumento dos crimes contra as autoridades públicas revela sempre actividade policial. Quando a actividade é menos intensa não há desobediência", aliás se retirar os polícias todos da rua, não haverá sequer hipótese de estatística. "Não se pode dizer de qualquer local do país que é um Far West, porque realmente não é", não me levem a mal, mas muito do que se tem passado eu estou habituado a ver em filmes do Steven Seagal.

Vídeo das declarações do ministro

1 Pinokadas:

martelo disse...

aquilo que de facto se confirma é que existe um tipo de crime bem organizado e "profissional"...