quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Adenda ao post em baixo.

Acabei de assistir à posição do Bernardino Soares do PCP na SIC Noticias relativamente à polémica das declarações de D. José Policarpo e como não poderia deixar de ser e é seu hábito, foi sensato. Assumindo bastantes divergências com o Cardeal Patriarca de Lisboa segundo ele, D. José Policarpo é das várias personalidades da Igreja Católica aquela que demonstra mais abertura e não crê que o que foi dito seja com intenção de fomentar alguma querela com a comunidade muçulmana, acha que as declarações não devem ser generalizadas e que foram ditas dentro de um contexto não as valorizando assim ao ponto de gerar polémica. Mostrou-se bem mais preocupado com o facto de ter ficado com a impressão pelas afirmações do Cardeal de haver alguma dificuldade de comunicação e relacionamento com a comunidade Islâmica em Portugal.
Vincou mais uma vez o apoio incondicional à defesa de todas as liberdades e garantias a todas as mulheres.
Esta opinião vindo de quem vem acaba por demonstrar seriedade e personalidade, algo que nunca duvidei que tivesse, e dá ainda uma lição aqueles que se mostram mais papistas que o Papa e no fundo são apenas populistas e complexados.

6 Pinokadas:

Teté disse...

Bom, para ser franca, a frase do D. José Policarpo que foi divulgada, fora do contexto, pareceu-me algo incendiária.

Mas foi burrice minha, que já sei que é fácil incendiar opiniões, quando se tiram frases do contexto...

Assim, acabo por concordar que ele tem razão, embora não seja "politicamente correcto" dizê-lo! Mas as verdades são para ser ditas, né? Melhor fez o Bernardino Soares, que acabou com a "tempestade no copo de água" que já se estava a levantar por aí... :)

Beijoca!

A Tasca do Tijoão disse...

Parabéns ao Bernardino ! Poucas vezes concordo com ele, esta é uma delas !

Alex disse...

Olha... este apanhou-me de surpresa.
5 estrelas.

Jorge P.G disse...

Penso também da mesma forma.
D. Policarpo tem-nos habituado a opiniões sensatas e humanistas.
Também não creio que a sua alusão, menos cautelosa e avisada, às dificuldades de diálogo com o mundo muçulmano tivesse sido acintosa.
A igreja católica é que desde 1870 se toma por infalível, através do dogma da infalibilidade do Papa.

Um abraço.

Menina disse...

Tens desafio no meu cantinho!

beijo*

Mariazinha disse...

Este senhor pode dizer o que quizer mas tem o dever de unir e não separar. Se foi sem intenção, nesta altura do campionato, até foi conveniente.A institução igreja está cheia de maus exemplos porque não tentar mudar o que está mal na nossa casa em vez de apontar a casa dos outros?
Casamentos católicos com violência doméstica há aos molhos e a igreja teima em não aceitar o divórcio.Isto sim é grave.

Beijokas